terça-feira, 25 de dezembro de 2012

ENTÃO É NATAL...



E ele será chamado Emanuel ... Deus conosco. (Mt 1.23.)

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu... (Is 9.6.)

            Há alguns anos foi publicado um curioso cartão de Natal, com os dizeres: "Se Cristo não tivesse vindo". Falava de um pastor que adormeceu em seu escritório numa manhã de Natal e sonhou com um mundo para o qual Jesus nunca tinha vindo.
            Em seu sonho, viu-se andando pela casa: mas lá não havia presentes no canto da lareira, nem árvore de Natal, nem coroas enfeitadas; e não havia Cristo para confortar, alegrar e salvar. Andou pelas ruas, mas não havia igrejas com suas torres agudas apontando para o Céu. Voltou para casa e sentou-se na biblioteca, mas todos os livros sobre o Salvador tinham desaparecido.
            Alguém bateu-lhe à porta, e um mensageiro pediu-lhe que fosse visitar sua pobre mãe à morte. Ele apressou-se a acompanhar o filho choroso; chegou àquela casa e disse: "Eu tenho aqui alguma coisa que a confortará." Abriu a Bíblia, procurando alguma promessa bem conhecida, mas viu que ela terminava em Malaquias. E não havia evangelho, nem promessa de esperança e salvação. E ele só pôde abaixar a cabeça e chorar com a enferma, em angústia e desespero.
            Não muito depois, estava ao lado de seu esquife, dirigindo o ofício fúnebre, mas não havia mensagem de consolação, nem palavra de ressurreição gloriosa, nem Céu aberto; mas somente "cinza a cinza e pó ao pó", e um longo e eterno adeus. O pastor percebeu  afinal, que "ELE não tinha vindo". E rompeu em lágrimas e amargo pranto, em seu triste sonho.
            De repente, acordou ao som de um acorde. E um grande brado de júbilo saiu-lhe dos lábios, ao ouvir, em sua igreja ao lado, o coro a cantar:

Ó vinde, fiéis, triunfantes, alegres,
Sim, vinde a Belém, já movidos de amor.
Nasceu vosso Rei, o Cristo prometido!
Oh, vinde, adoremos ao nosso Senhor!

            Regozijemo-nos e alegremo-nos hoje, porque "ELE VEIO"!          
            Lembremo-nos da palavra do anjo: "Eis aqui vos trago novas de grande alegria que será para todo o povo: pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor" 
(Lc 2.10,11).

Se é grande a maldição que vem pelo pecado
Maior é a profundeza
Do amor e da riqueza
Que Deus tem para ti no Filho muito amado!
Alegra-te, ELE VEIO!
E para ti foi dado!
Exulta no Senhor!
É vindo o Salvador!

            Que nosso coração possa se derramar em compaixão pelos povos pagãos, que não têm o dia bendito do Natal de Cristo. "Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e ENVIAI PORÇÕES AOS QUE NÃO TÊM NADA PREPARADO PARA SI" (Ne 8.10).


domingo, 23 de dezembro de 2012

A VIAGEM É LONGA


A viagem é demasiado longa para ti. (1 Rs 19.7.)
            E o que fez Deus com o servo cansado? Deu-lhe algo para comer e o pôs a dormir. Elias tinha feito uma excelente obra, e em seu entusiasmo havia corrido adiante do carro de Acabe. Tudo isto fora demais para as suas forças físicas; a reação veio, e ele ficou deprimido.
            O físico precisava ser atendido. Muitas pessoas estão precisando é de sono, e do atendimento de suas necessidades físicas. Há grandes homens e mulheres que têm chegado ao ponto em que Elias chegou — debaixo de um zimbro! Vem mesmo adequada, a estes, a suave palavra do Senhor: "A viagem é demasiado longa para ti", e eu quero renovar-te. — Não confundamos cansaço físico com fraqueza espiritual. Às vezes estamos desgastados física ou mentalmente  e não temos forças para exercícios de fé e oração, embora o nosso espírito esteja orando e confiante.
"Estou tão cansado pra crer e pra orar... "
Assim disse alguém cuja força faltava.
"Um só pensamento na mente me paira:
Poder largar tudo; parar, descansar.
"Você acha que Deus me perdoa, se eu for
Direto dormir, qual criança pequena,
Sem mesmo parar perguntando se posso,
Sem mesmo tentar crer e orar com fervor?"

"Se Deus o perdoa? Mas pense você:
No tempo em que a fala era estranha a seus lábios,
A mãe lhe negava repouso em seu colo?
Ou se recusava a embalar o bebê?
"Será que deixava o pequeno sofrer
Sem trato ou cuidado porque não pedia?
Será que exigia do infante um dever?
Ou, terna, velava-o enquanto dormia?

"Meu bem, pense um pouco: movida de amor
A mãe lhe entendia o suspiro mais leve!
Se, pois, o seu corpo se sente esgotado
E a mente, cansada, para orar com fervor,
"Então deixe tudo, e vá já descansar,
Tal como fazia quando era pequeno!
Seu Deus o conhece, e ama tanto a esse filho
Que está mui cansado pra crer e pra orar!

"A sua estrutura Ele sabe que é pó;
Que o seu coração ora, sim, e confia.
Oh, como Jesus demonstrou simpatia
A Seus escolhidos, quando Ele, tão só,
"Levou sobre Si todo o mal, toda a dor,
Deixando-os dormir por estarem tão tristes.
 -Você já se pôs aos cuidados do Mestre;
Vá, filho, direto dormir, sem temor!"

MANANCIAIS DO DESERTO
LETTIE COWMAN,

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A PROMESSA E A TENTAÇÃO

                                                        
Pede-me, e te darei as nações como herança e os confins da       terra como tua propriedade. (Sl 2.8.)
        
DUAS VEZES Jesus ouviu a promessa: “Te darei as nações”. 
  • A primeira aparece no livro dos Salmos (2.8) e a segunda aparece na história da tentação de Jesus (Mt 4.8).
  • Na primeira é Deus quem promete: “Pede-me, e te darei as nações como herança”. Na segunda é o diabo quem promete: “Todos os reinos do mundo e o seu esplendor te darei, se te prostrares e me adorares”.
  • No caso da primeira promessa, Jesus precisaria apenas pedir. No caso da segunda promessa, Jesus precisaria pôr o rosto no chão diante de Satanás e o adorar.
  • O que há no Salmo 2 é uma promessa. O que há na passagem de Mateus é uma tentação, uma tentação absurda.
  • Assim como Jesus, todos estamos entre o “Eu te darei” de Deus e o “Eu te darei” do diabo. 
  • O que Deus dá não tem mistério, não tem cilada, não tem perigo. O que o diabo dá é muito complicado, é muito arriscado, é muito enganoso. Pode criar situações dificílimas e irreversíveis. 
  • A Abraão Deus prometeu dar um filho nascido de Sara e não de Hagar. Ismael foi resultado de uma precipitação não idealizada nem sugerida por Deus.
REFEIÇÕES DIÁRIAS COM O SABOR DOS SALMOS
ELBEN M. LENZ CÉSAR

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

BÍBLIA


                             
A Bíblia está CHEIA de erros:
· primeiro erro foi quando Eva duvidou da Palavra de Deus;
· segundo erro aconteceu quando seu esposo fez o mesmo;
· e assim erros e mais erros ainda estão sendo cometidos…
porque as pessoas insistem em duvidar da Palavra de Deus.
A Bíblia está CHEIA de contradições:
· Ela contradiz o orgulho e o preconceito;
· Ela contradiz a lascívia e a desobediência
· Ela contradiz o meu pecado e o seu.
A Bíblia está CHEIA de falhas:
· porque Ela é o relato de pessoas que falharam muitas vezes ;
· assim foi com a falha de Adão;
· com a falha de Caim;
· e a de Moisés;
· bem como a falha de Davi e a de muitos outros que também falharam.
· Mas Ela é também o relato do amor infalível de Deus.
Deus NÃO ESCREVEU a Bíblia:
· para pessoas que querem jogar com as palavras;
· para aqueles que gostam de examinar o que é bom mas sem fazê-lo;
· para o homem que não acredita porque não quer.
O homem moderno DESCARTOU os ensinamentos da Bíblia:
· pelas mesmas razões que outros homens tem descartado através
da história, por grande ignorância a sua verdadeira mensagem e 
conteúdo;
· intransigente apatia em recusar considerar suas declarações;
· bem conhecidos pseudo-cientistas posando de críticos honestos;
· convicção secreta de que este Livro está certo e de que os homens
 estão errados.

Somente uma pessoa PRECONCEITUOSA acreditaria que:
· os ensinamentos Bíblicos são passados e irracionais, sendo 
princípios arcaicos e sem propósito;
· a Bíblia está cheia de discrepâncias e afirmações inaceitáveis;
· Ela só poderia ser trabalho irrelevante e não inspirado de meros 
homens.
A Bíblia é , afinal, somente mais um LIVRO RELIGIOSO:
· para milhares que não se arriscam serem honestos consigo 
mesmos e com Deus;
· para aqueles que tem medo de aceitar o desafio do próprio Deus a
 um exame honesto;
· para aqueles que não querem examiná-la a fundo porque Ela diz 
verdadeiramente como os homens são.
E você não pode ENTENDER ou CONFIAR no que a Bíblia diz:
· a menos que você esteja disposto a considerar as evidências e 
encarar face a face o AUTOR.
autor desconhecido

sábado, 1 de dezembro de 2012

UM NOVO CORAÇÃO

                                     


"Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne". (Ezequiel 36:26).

Introdução: Todos nós já ouvimos falar em pedra nos rins ou em pedra na vesícula. Claro que sim! Mas, eu tenho certeza que muitos poucos tem conhecimento da existência de pedra no coração, É isso mesmo, pedra no coração. É assim que o "doutor" Ezequiel diagnosticou a enfermidade do povo de Deus em seus dias. Eles estavam sofrendo dessa terrível e sóbria doença: pedra no coração, ou antes, um coração de pedra. Mais próximo de nós, Machado de Assis, em vez de coração de pedra, cria uma expressão congênere: Coração de granito. Quais são as sintomatologias?
Você sabe quais são as sintomatologias deste problema?

1. Insensibilidade Diante das Maravilhas de Deus
Salmo 53.1 "Diz o néscio no seu coração: Não há Deus". O Salmo 19.1: "Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das Suas mãos". Mas o coração de granito não vê nada disso. Ele olha para o céu e só vê nuvens negras. O profeta Ezequiel está envolvo de pessoas com um coração de granito. Mas Eles estavam cegos para ver as maravilhas de Deus na história de suas próprias vidas. Israel atravessou o Mar Vermelho a pé enxuto, mas isso não diz nada ao coração de granito. Israel é sustentado 40 anos no deserto, mas isso nada diz ao coração de granito. Seus corações estavam pedrados e embrutecidos para perceber as maravilhas de Deus em favor de Seu povo. 

2. Insensibilidade diante da maravilha do amor de Deus 
Em João 3.16 e Romanos 5.8, o Espírito Santo falando por meio de Seus servos João e Paulo, respectivamente, nos diz que Por amor, Jesus enfrentou a cruz, sofreu as terríveis e cruentas realidades do calvário. Sorveu o triste e acre cálice do sofrimento – sofrimento repulsivo, sofrimento moral e físico, Mas o coração de granito não percebe os espinhos em Sua fronte, os pregos em Suas mãos e pés. Não se dá conta do alto preço que o Filho de Deus teve que pagar para que nós, miseráveis criaturas, pudéssemos receber o favor de Seu amado Pai. Nada da história de Jesus lhes toca, lhes impressiona, e isto, por uma simples razão - seus corações estão obturados, duros como pedra – são corações de granito. 

3. Insensibilidade Diante da Gravidade do Pecado
Uma característica de nossa geração é a sua indiferença para com o pecado. Nada pode ser pior para uma sociedade do que isso. Zombava-se do pecado antes de Noé. Resultado: Dilúvio. Zombava-se do pecado em Sodoma e Gomorra. E estas, foram varridas do mapa. Zombava-se do pecado nos Reinos do Norte e do Sul. Resultado: o do Norte, levado cativo para a Assíria, o do Sul, levado cativo para a Babilônia. Zomba-se do pecado hoje no Brasil... Se você fala do pecado, as pessoas riem, a televisão ironiza, os intelectuais pigarreiam. Resultados? Os principais jornais estão aí para denunciar a loucura de tal ato: "O salário do pecado é a morte". Como brasileiros, crescemos numa cultura em que somos condicionados a crer que sempre há um jeitinho à parte para lidar com todas as situações rígidas. E assim pensamos em referência ao pecado. Por isso, muitos de nós cristãos tupiniquins, nos achamos muito espertos, pensamos que podemos zombar do pecado sem pagar o preço que isso exige. Mas a Palavra de Deus diz tácita e categoricamente: "Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará " (Gálatas 6:7). Nunca em nosso meio tivemos tantos casos de pedra no coração.

4. Insensibilidade diante da maravilha da Palavra de Deus 
Palavra que "para sempre permanece no céu". Para o coração de granito, a Bíblia é mais um livro no mercado editorial. Quando muito, é um livro de bolso, de prateleira. Não atentam para sua importância. Deixam-na por qualquer programa supérfluo. Esquecendo-se das maravilhosas palavras do Senhor Jesus "Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus" (Mateus 22:29). Negociam-na por qualquer valor. Desprezam-na não percebendo que ela é a única forma de nós permanecermos firmes servindo ao Senhor. 

5. Insensibilidade Diante da Urgência da Salvação 
Outro sintoma do coração de granito é ir prorrogando o dia de sua salvação. Lemos: "Portanto, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações" (Hebreus 3.7,8). Mas o coração de granito não atenta para o tempo que passa. Ele ignora que cada minuto sem Jesus é um crime contra a própria alma. Alguns anos atrás, um avião caiu no aeroporto de Orly, em Paris. 122 pessoas morreram. A amargura foi maior quando as autoridades revelaram que apenas um minuto e meio seriam suficientes para a aterrissagem e consequente salvamento das vítimas. Só um minuto e meio. Sim, o tempo é muito importante. 

Oh! querido irmão de coração de granito, não brinque com o tempo. Como diz a Bíblia, "você não sabe o que vai acontecer amanhã" (Provérbios 27.1b, BLH). Convide Jesus a fazer em você uma cirurgia no seu coração e entre o ano com um coração novo. Ele vai arrancar o seu coração de pedra e no lugar porá um de carne. Mas faça isso, hoje, agora mesmo! 

Rev. José Kleber - http://www.montesiao.pro.br/index.html

domingo, 25 de novembro de 2012

A RESPOSTA É DO TAMANHO DA SUA FÉ




Toma as flechas. ... Atira-as contra a terra: ele a feriu três vezes e cessou. Então o homem de Deus se indignou muito contra ele, e disse: Cinco ou seis vezes a deverias ter ferido. (2 Rs 13.18,19.)

            Como é penetrante e eloquente a mensagem destas palavras! Joás pensou que tivesse feito bem, quando duplicou e triplicou o que para ele era um extraordinário ato de fé. Mas o Senhor e o profeta estavam profundamente desapontados, porque ele tinha parado na metade do caminho.
            Ele alcançou alguma coisa. Ele alcançou muito. Ele alcançou exatamente o que creu, no teste final; mas não alcançou tudo o que tinha em vista o profeta nem tudo o que o Senhor queria dar. Ele perdeu muito do que a promessa continha e da plenitude da bênção. Obteve algo melhor do que o simplesmente humano, mas não obteve o melhor de Deus.
            Amado, como é solene a aplicação disto! Como é esquadrinhadora a mensagem de Deus para nós! Como é importante que aprendamos a orar até prevalecer! Tomaremos nós toda a plenitude da promessa e todas as possibilidades da oração que crê? 
            "Aquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos..." (Ef 3.20.)
            Não há nos escritos de Paulo outra seqüência de palavras como estas: "muito mais abundantemente além", e cada palavra está cheia de infinito amor e poder para "fazer", para operar em favor dos Seus santos quando oram. O poder que nos salvou, que nos lavou com Seu próprio Sangue, que nos encheu de força pelo Seu Espírito, que nos guardou em muitas tentações, trabalhará para nós, vindo ao encontro de cada emergência, cada crise, cada circunstância e cada adversário.

AQUIETAI-VOS



           Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus. (Sl 46.10.)

            Haverá em todo o coral uma só nota musical tão poderosa como o é a ênfase da pausa? Já percebeu como nos Salmos é eloqüente a palavra Selah (pausa)? Haverá silêncio mais palpitante do que a quietude que precede a tempestade, e a estranha calma que parece cair sobre a natureza antes de alguma convulsão ou fenômeno? Haverá alguma coisa capaz de nos tocar o coração como o poder da tranqüilidade?
            Aquele que pára de operar com as suas próprias mãos, encontra "a paz de Deus, que excede todo o entendimento"; há um "sossego e confiança" que é fonte de toda a força; uma doce paz que nada pode abalar; um profundo descanso que o mundo não pode dar nem tampouco tirar. Há no mais profundo da alma uma recâmara de paz onde Deus habita; e se entrarmos ali e afastarmos todos os outros sons, poderemos ouvir a Sua voz mansa e delicada.
            Quando uma roda gira bem velozmente em torno do próprio eixo, há um lugar, bem no centro, onde não há movimento; assim, na vida mais ocupada pode haver um lugar onde ficamos a sós com Deus em constante quietude. Só há uma maneira de se conhecer a Deus: "Aquietai-vos, e sabei". "O Senhor está no seu santo templo; cale-se diante dele toda a terra."
            "Amoroso Pai, nós andamos algumas vezes sob céus sem estrelas, que derramavam escuridão como chuva. Ansiávamos por estrelas, ou lua, ou aurora. Mas a escuridão espessa pousava sobre nós como se fosse durar para sempre. E daquelas trevas, nenhuma voz de calma vinha confortar o nosso coração. Teríamos saudado alegremente até o soar de um trovão que nos quebrasse o silêncio torturante daquela noite densa.
            "Mas o amoroso segredar do Teu amor eterno falou mais doce à nossa alma esmagada e sangrando, que a música dos ventos numa harpa eólica. Foi a Tua "voz mansa e delicada' que nos falou. Estávamos escutando, e ouvimos. Olhamos e vimos a Tua face radiante de luz e amor. E quando ouvimos a Tua voz e vimos o Teu rosto, voltou-nos nova vida, como volta a vida às flores pendidas que bebem a chuva de verão."

MANANCIAIS DO DESERTO
LETTIE COWMAN

domingo, 4 de novembro de 2012

A MAIS BELA HISTÓRIA DE AMOR


O amor é tão necessário como o ar que respiramos. 
Não existe pessoa no mundo que não tenha necessidade de amor. Mesmo que elas não admitam diante de pessoas ou não demonstrem, desejam este amor e proteção 
e que alguém se preocupe com elas.
Nós podemos te dizer que existe alguém que te ama 
de todo o coração, mesmo que não tenha recebido 
este amor de pessoas, porque Ele provou isto 
entregando a sua própria vida.
Na Bíblia está escrito em Romanos 5.8:
 "Mas Deus prova o seu amor para conosco 
pelo fato de ter Cristo morrido por nós, 
sendo nós ainda pecadores".
Deus fala com você: "Eu amo tanto que dei tudo por você."
A pergunta é: você já respondeu a este amor? 
Ou você é um daqueles que ri de Deus
 e não quer saber de nenhum pensamento sobre o Seu amor. 
Você zomba Dele. O ignora. 
Mas você não pode impedi-lo de te amar.
A declaração de Deus é:
Quero te perdoar por Jesus Cristo!
Quero te dar vida e paz eterna!
Quero te ajudar na dificuldade!
Quero te consolar e libertar!
Quero te abençoar!
Quero te carregar nos meus braços!
Quero te guiar com os meus olhos!
Quero te fazer feliz!
O amor de Deus para você nunca muda. 
Você pode se tornar alegre e feliz se responder a esse amor.
Perguntaram a um senhor de idade, no final de sua vida, 
o que tinha sido o melhor e mais lindo na vida. 
Ele respondeu: "Saber que Deus me ama".
Se você chegar a Deus com profunda humildade 
e pedir perdão pelas atitudes erradas, 
você fará parte da maior história de amor,
 e vai louvar a Deus pelo amor não merecido, 
como uma pessoa super feliz.
( Folheto evangélico)

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

SEU AMOR LEAL




O coração do Pai era o esconderijo de Jesus, um lugar fortalecido e protegido em que Deus se fazia próximo, em que se renovava a intimidade do deserto, onde jamais morriam a confiança, o amor e a percepção que tinha de si mesmo, sendo todos esses, antes, continuamente reacesos. Em momentos de oposição, de rejeição,
de ódio e de perigo, ele se retirava para aquele esconderijo em que era amado. Em momentos de fraqueza e temor, nasciam lá uma força e uma inabalável perseverança. 
Diante das incompreensões e das desconfianças que só aumentavam, apenas o Pai o compreendia. “... Ninguém sabe quem é o Filho, a não ser o Pai...” (Lc 10:22). 
Os fariseus conspiraram secretamente para destruí-lo; os amigos das horas boas estenderam a outros seu compromisso de lealdade; um discípulo o negou e outro o traiu; mas nada podia afastar Jesus do amor do Pai. Na reclusão dos lugares desertos, ele marcava encontros com El Shadai, e é difícil imaginar o que
aqueles momentos significavam para ele. Mas de uma coisa podemos estar certos: eram profundamente reforçadas a identidade e a percepção — originais, crescentes e definitivas — de Jesus como Filho, Servo e Amado do Pai. Nada pode prejudicar a proclamação das boas notícias acerca da vida eterna nem impedir que se ajudem as pessoas num modo de vida que lhes permita crescer em direção à eternidade — um caminho de paz e justiça, com espaço para que a dignidade humana seja reconhecida e o amor floresça.
Graças ao grande amor do SENHOR é que não somos consumidos,
pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a sua fidelidade! Lamentações 3:22-23

MEDITAÇÕES PARA MALTRAPILHOS
Brennan Manning

traduzido por Fabiani Medeiros
São Paulo: Mundo Cristão, 2008.

domingo, 23 de setembro de 2012

JARDIM DE ORAÇÃO



Assopra no meu jardim, 
para que se derramem os seus aromas. 
(Ct 4.16.)
            Algumas das especiarias mencionadas neste capítulo são bastante sugestivas. O aloés era uma especiaria amarga, e fala-nos da doçura das coisas amargas, o doce-amargo, que quem já provou, sabe bem quanto agrada ao paladar. A mirra era usada para embalsamar os mortos, e fala-nos de morrermos para alguma coisa. É a doçura que vem ao coração depois que ele morreu para a vontade-própria, o orgulho e o pecado.
            Oh, o encanto inexprimível que paira em torno de alguns crentes, simplesmente porque trazem no semblante açoitado pela disciplina e no espírito dulcifícado, as marcas da cruz; a santa evidência de terem morrido para o que uma vez foi orgulho e força, mas que agora está para sempre aos pés do Senhor. É o encanto celeste de um espírito quebrantado e um coração contrito, a música que brota de uma tonalidade menor.
            E ainda, o incenso, com a fragrância que procedia do toque de fogo. Era aquele pó queimado que se erguia em nuvens de doçura do seio das chamas. Fala-nos do coração cuja doçura tem-se desprendi­do talvez através das chamas da aflição, até que o lugar santo da alma é cheio das nuvens de oração e louvor. Amado leitor, estamos nós derramando as especiarias, os perfumes, os aromas suaves do coração?
MANANCIAIS DO DESERTO
LETTIE COWMAN

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ACEITE SUA CRUZ



Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. (Mc 8.34.)
            A cruz que o Senhor me manda tomar e carregar pode assumir diferentes formas. Pode ser que eu tenha de me contentar com uma esfera humilde e estreita, quando sinto capacidade para trabalho muito mais elevado. Pode ser que eu tenha de cultivar durante muitos anos um campo que não me parece trazer colheita alguma. Pode ser que Ele me mande nutrir pensamentos amáveis sobre alguém que me prejudicou, e pode ser que eu seja levado a falar-lhe brandamente, a tomar a sua defesa contra alguém que se opõe a ele, a cercá-lo de simpatia e dar-lhe minha ajuda.
            Pode ser que eu tenha de confessar a meu Mestre no meio daqueles que não querem ser relembrados da existência dEle, nem dos Seus direitos sobre eles. Pode ser que eu seja chamado a andar entre os homens com rosto radiante, quando meu coração está partido. Existem muitas cruzes, e todas elas são dolorosas e pesadas. Nenhuma delas será procurada por mim de iniciativa própria.
            Mas Jesus nunca está tão perto de mim como quando tomo a minha cruz e, submisso, coloco-a sobre os ombros, e a recebo com as boas-vin­das de um espírito paciente e conformado. Ele Se aproxima, para fazer amadurecer a minha sabedoria, para aprofundar a minha paz, para aumentar a minha coragem, para aumentar minha capacidade de ser útil aos outros, e isto através da própria experiência que se faz tão pesada e angustiante. E então — como estava escrito no sinete de um heróico prisioneiro —     Eu cresço sob a carga. Alexander Smellie
            "Aceite sua cruz como um bordão, não como um tropeço."
 MANANCIAIS DO DESERTO
 LETTIE COWMAN

DÊ A DEUS A FLOR DO DIA


MANHÃ COM DEUS

Prepara-te para amanhã, para que subas pela manhã ao monte... e ali põe-te diante de mim no cume do monte." (Êx 34.2.)
            A manhã é o tempo que eu estabeleci para estar a sós com o Senhor. A própria palavra manhã é como um belo cacho de uvas. Vamos esmagá-las e beber o vinho sagrado. De manhã! É a hora que Deus preparou para eu estar no melhor do meu vigor e esperança. Não vou ter que subir ao monte na hora em que estou cansado. Durante a noite eu sepultei a fadiga de ontem, e de manhã tomo uma nova porção de energia. Bendito é o dia cuja manhã é santificada! Bem sucedido é o dia cuja primeira vitória é conquis­tada em oração! Santo é o dia cuja aurora nos encontra no cume do monte!
            Meu Pai, estou indo! Nada na planície rasteira me afastará das santas alturas. Ao Teu comando eu vou, então Tu virás encontrar-Te comigo. De manhã no monte! E estarei forte e alegre por todo o resto de um dia tão bem iniciado. — Joseph Parker
            Minha mãe possuía o hábito de, todos os dias imediatamente após o café da manhã, recolher-se ao seu quarto e passar uma hora em leitura da Bíblia, meditação e oração. Daquele período, como se fosse uma fonte pura, ela tirava a força e a doçura que a capacitavam para todos os seus afazeres e para permanecer sem agitação no meio das banalidades e pequenos aborrecimentos que são tantas vezes motivo de perturbação em lugares onde a vizinhança é muito próxima.
            Quando eu penso em sua vida, e em tudo o que teve de suportar, vejo o completo triunfo da graça cristã em seu precioso ideal de mulher cristã. Nunca vi seu gênio alterado; nunca a ouvi proferir uma palavra de ira, calúnia ou maledicência; nunca obser­vei nela nenhum sinal de um só sentimento que não ficasse bem numa alma que havia bebido do rio da água da vida e que se havia nutrido do maná em pleno deserto. — Farrar
            DÉ a Deus a flor do dia. Não O ponha de lado juntamente com as folhas secas.

 MANANCIAIS DO DESERTO
 LETTIE COWMAN

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

FORTALEZA


Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presen­te na angústia. (Sl 46.1.)
            Muitas vezes surge a pergunta: "Por que Ele não me socorreu antes?'' Porque esse não é o Seu modo de operar. Primeiro Ele precisa nos ajustar à tribulação e ensinar-nos uma lição. A promessa é: "Estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei e o glorificarei". Primeiro Ele precisa estar conosco no meio da tribulação, o dia todo e a noite toda. Então Ele nos tirará dela. E isto só acontecerá depois que nós pararmos de ficar agitados e agastados a respeito do assunto e fi­carmos calmos e quietos. Então Ele dirá: "Basta".
            Deus usa a tribulação para ensinar preciosas lições a Seus filhos. As tribulações visam a nos educar. E quando a sua boa obra está completa, uma gloriosa recompensa nos vem através delas. Há nelas um gozo suave e um valor real. Ele não as vê como dificulda­des, mas como oportunidades. — Selecionado
            Certa vez ouvimos de um crente já idoso, um homem de cor muito simples, uma coisa que nunca mais esquecemos: "Quando Deus prova a gente, é uma boa hora para a gente também fazer pro­va de Deus. A gente pega as promessas de Deus e faz prova delas: vai tirando daí tudo o que é precioso para socorrer a gente naquela provação."
            Há duas maneiras de se sair de uma tribulação. Uma é simplesmente procurar ficar livre dela e respirar aliviado quando tudo passou. Outra é aceitar a tribulação como um desafio de Deus, para tomarmos posse de uma grande bênção, da maior bênção já experimentada, e saudá-la com alegria como sendo uma oportuni­dade de obtermos uma medida maior da graça de Deus. Assim, até mesmo o adversário se torna um auxiliar, e as coisas que parecem ser contra nós passam a servir para nosso progresso. Sem dúvida, isto é ser mais do que vencedor por Aquele que nos amou. — A. B. Simpson
MANANCIAIS DO DESERTO
LETTIE COWMAN

PROFUNDIDADE

Não havia muita terra. (Mt 13.5.)
            Parece-nos, pelo ensino desta parábola, que nós temos alguma coisa a ver com o solo. A semente frutífera caiu num "coração reto e bom". Creio que há pessoas sem profundidade que são como o solo sem muita terra — aqueles que não têm um propósito real, que são movidos por qualquer apelo comovente, ou por um bom sermão, uma melodia sentimental, e que, a princípio, parece que vão produzir alguma coisa; mas não há muita terra — não há profundi­dade, não há um propósito honesto e profundo, não há um desejo real de conhecer o dever a fim de cumpri-lo. Olhemos para o solo do nosso coração.
            Quando um soldado romano era informado por seu dirigente de que, se insistisse em seguir determinada expedição, provavelmente iria morrer, a resposta era: "É necessário que eu vá; não é necessário que eu viva."
            Isto é profundidade. Quando estamos assim convictos, alguma coisa resultará daí. A natureza superficial vive dos seus impulsos, impressões, intuições, instintos e, também, do que a cerca. O caráter profundo olha para além dessas coisas e, enfrentando tempestades e nuvens, avança para a região ensolarada do outro lado; ele espera pelo amanhã, que sempre traz o reverso da dor e da aparente derrota e fracasso.
            Quando Deus nos faz profundos, então pode dar-nos também Suas verdades e segredos mais profundos e confiar-nos coisas maiores.   Senhor guia-me às profundezas da Tua vida e livra-me de uma experiência superficial.
MANANCIAIS DO DESERTO
 LETTIE COWMAN

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

COMO ALCANÇAR A PROMESSA



E assim, esperando com paciência, alcançou a promes­sa. (Hb 6.15.)
            Abraão foi provado por longo tempo, mas foi abundantemente recompensado. O Senhor o provou através de uma demora em cumprir a promessa. Satanás o provou pela tentação; Sara o provou por sua impertinência; os homens o provaram pelo ciúme, desconfiança e oposição: mas ele suportou tudo pacientemente. Não discutiu a veracidade da promessa, Não limitou o poder de Deus, não duvidou da Sua fidelidade, nem magoou o Seu amor. Antes curvou-se à soberania de Deus, submeteu-se à Sua infinita sabedoria e ficou em silêncio, apesar das demoras, esperando a ocasião determinada pelo Senhor. E assim, tendo esperado com paciência, alcançou a promessa.
            As promessas de Deus não podem deixar de ser cumpridas. Os que pacientemente esperam não serão decepcionados. A expectação da fé será recompensada.
            Amado leitor, a conduta de Abraão condena um espírito apressado, reprova a murmuração, recomenda o espírito paciente e encoraja uma quieta submissão à vontade e aos caminhos de Deus. Lembre-se de que Abraão foi provado; de que ele esperou paciente­mente; recebeu a promessa e foi satisfeito. Imite o seu exemplo, e receberá a mesma bênção.

MANANCIAIS DO DESERTO
LETTIE COWMAN

PERFEIÇÃO DE DEUS


O Senhor aperfeiçoará o que me concerne. (Sl 138.8.)
            Há no sofrimento um mistério divino, sim, um poder estranho e sobrenatural, que nunca foi penetrado pela razão humana. Não há alma que não tenha conhecido grande santidade, que também não tenha passado por grande sofrimento. Quando a alma chega ao ponto calmo e doce de não abrigar preocupações, quando ela pode ter no íntimo um olhar suave para com a própria dor e nem sequer pede a Deus para livrá-la do sofrimento, então o sofrimento já cumpriu seu bendito ministério; então a paciência concluiu sua obra perfeita; então a crucificação começa a transformar-se em coroa.
            É neste estado de maturidade no sofrimento que o Espírito Santo opera muitas coisas maravilhosas em nossa alma. Em tais condições, todo o nosso ser está inteiramente quieto sob a mão de Deus: cada faculdade da mente, da vontade e do coração está finalmente subjugada. Uma quietude vinda da eternidade ocupa todo o ser; a língua se aquieta e tem poucas palavras a dizer, ela pára de fazer perguntas a Deus, pára de clamar: "Por que te esqueceste de mim?"
            A imaginação pára de construir castelos na areia ou de voar para rumos vãos, a razão fica mansa e dócil, as escolhas próprias são deixadas, a alma não deseja outra coisa senão o propósito de Deus. Nossa afeição se desliga de toda criatura e de todas as coisas; ela fica tão entregue a Deus, que nada pode ferir nosso coração, nada pode ofendê-lo, nada pode detê-la, nada pode atravessar-se em seu caminho; pois sejam quais forem as circunstâncias, o ser está buscando só a Deus e a Sua vontade. Ele sabe com certeza que Deus está fazendo com que todas as coisas no universo, boas ou más, passadas ou presentes, contribuam juntamente para o seu bem. Que felicidade é estarmos inteiramente subjugados!
            Perdermos a nossa própria força, e sabedoria, e planos e desejos, e estarmos onde todos os átomos da nossa natureza são como o plácido mar da Galiléia sob os onipotentes pés de Jesus.
            A grandeza está em sofrer sem ficar desanimado.

MANANCIAIS DO DESERTO
 LETTIE COWMAN

domingo, 9 de setembro de 2012

RESGATOU-ME E FEZ-ME SEU


Quem é esta que sobe do deserto e vem encostada ao seu amado? (Ct 8.5.)
            Alguém certa vez aprendeu uma lição valiosa, numa reunião de oração. Um modesto irmão pediu ao Senhor várias bênçãos, como costumamos fazer, e agradeceu por muitas já recebidas, como todos nós fazemos, mas terminou com uma petição estranha: "E, ó Senhor, põe estacas em nós! Sim; põe estacas em todas as nossas necessidades de encostar!'' Você tem necessidade de se encostar? A oração daquele homem humilde as apresenta aos nossos olhos de uma maneira nova, e também nos mostra o Grande Sustentador sob uma nova luz. Ele está sempre andando ao lado do crente, pronto a estender Seu braço poderoso e escorar o fraco "Em todos as nossas necessidades de encostar".

Meu Jesus Se fez por mim Tudo, sim!
NEle encontro, pois, assim, Tudo para mim.
Santidade, amor, poder, Cada instante em meu viver
Redenção e paz sem fim, Tudo Ele é pra mim!

Sobre a Cruz por mim sofreu Tudo, sim!
Resgatou-me e fez-me Seu. Tudo é para mim!
Só Jesus me satisfaz Tudo, sim!
Sempre limpo e são me faz, Tudo é para mim.

Ele é todo o meu prazer, Tudo, sim!
Me segura e faz vencer! Tudo é para mim.
Glória, honra e amor Lhe dou!

Tudo, sim!
Seu eternamente sou!
Tudo é para mim!    
                          
MANANCIAIS DO DESERTO
LETTIE COWMAN